Início » Jardinagem » As 13 Melhores Plantas Grandes para Sala que Você Deve Conhecer

As 13 Melhores Plantas Grandes para Sala que Você Deve Conhecer

A crescente urbanização desafia a incorporação da natureza em nossos espaços de vida, incentivando assim o uso de plantas grandes para sala.

Não apenas como elementos estéticos, estas plantas oferecem benefícios para a saúde, como a redução do estresse e a melhoria da qualidade do ar.

A seguir, apresentamos uma seleção das melhores opções para revitalizar qualquer ambiente doméstico.

Lírio-da-paz

vaso com lírio-da-paz grande

Conhecido pelos simbolismos de cura e esperança, o lírio-da-paz se destaca com suas folhas verdes exuberantes em ambientes internos.

Alcançando até 90 centímetros de altura, requer cuidados moderados – como a manutenção do solo constantemente úmido, porém, jamais encharcado, e a preferência por locais sombreados.

Dracena

vaso de dracena em sala de estar

A dracena, também conhecida como pau d’água, é ideal para espaços próximos a janelas onde recebem abundante luz natural.

Com uma manutenção relativamente fácil e a possibilidade de atingir até 6 metros de altura, esta planta se adapta bem a regas bissemanais e à limpeza periódica de suas folhas para eliminar o pó acumulado.

Participe do nosso canal no WHATSAPP com dicas RÁPIDAS e FÁCEIS para a sua casa. Acesse ~> clicando aqui.

Palmeira-areca

vaso de palmeira-areca em sala

A palmeira-areca é uma escolha clássica para quem busca incorporar um toque tropical.

Este espécime pode crescer impressionantes 12 metros num vaso. Ela é resiliente tanto em meia-sombra quanto sob sol direto, desde que esteja em solo bem drenado e enriquecido com matéria orgânica.

Aliás, vale ressaltar a necessidade de manter a umidade do ambiente, especialmente se o uso de ar-condicionado for frequente.

Cacto-candelabro

cacto-candelabro em sala

Para os entusiastas de cactos, o cacto-candelabro é uma opção espetacular.

Aptos para interiores bem iluminados pelo sol, estes gigantes podem atingir até 12 metros de altura e requerem uma rega mínima, apenas uma vez por mês.

Atenção deve ser dada devido aos seus espinhos e seiva potencialmente tóxica para crianças e animais domésticos.

Costela-de-adão

costela-de-adão em vaso em sala de estar

Muito apreciada por suas folhas amplas e design inconfundível, a costela-de-adão é uma trepadeira robusta que pode ornar qualquer sala.

Alcançando até 12 metros, essa planta precisa de um solo úmido e deve ser colocada à sombra ou em ambientes com luz indireta. Além disso, é relevante mencionar que seus frutos são não apenas comestíveis, mas também deliciosos.

Árvore-do-viajante

árvore-do-viajante em sala de estar ampla

Originária de Madagascar, a árvore-do-viajante cresce entre 6 a 12 metros e floresce anualmente. Suas inflorescências são uma demonstração estética exuberante.

Requer exposição ao sol pleno e um cuidado regular com as regas para que o solo se mantenha úmido sem excesso de água.

Ave-do-paraíso

ave-do-paraíso em sala

Similar à árvore-do-viajante, a ave-do-paraíso prima por suas flores expressivas e pode crescer até 10 metros.

Esta espécie adora calor e necessita de pleno sol para florir, além de regas consistentes, que devem ser mais frequentes durante os períodos mais quentes.

Árvore-da-felicidade

árvore-da-felicidade em sala de estar

Popularmente conhecida por trazer boas energias ao lar, a árvore-da-felicidade possui uma variante masculina, que pode chegar a 4,7 metros, e uma feminina, com até 2,4 metros de altura.

O cuidado com ambas pode variar e, especialmente para as plantas femininas, pode ser necessário usar suportes para auxiliar no seu desenvolvimento.

Ficus elastica

Ficus elastica em sala de estar

O Ficus elastica é perfeito para ambientes com janelas que recebam luz solar direta.

Essa planta, com suas folhas grossas e elegantes, necessita de ao menos 3 horas de luz natural por dia e um cuidado especial para evitar o encharcamento do solo.

Ficus lyrata

ficus lyrata em sala

A Ficus lyrata se adequa a espaços com meia sombra e chama atenção por suas folhas largas e ornamentais.

Exigindo luz natural, o crescimento lento desta planta também implica um custo maior, proporcionando assim uma consideração adicional na sua escolha.

Bambu-mossô

bambu mossô em sala

Vindo da China, o bambu-mossô distingue-se pela sua estatura elevada, podendo crescer até 25 metros.

Requer manutenção em termos de iluminação indireta e regas moderadas, alinhando-se bem com a estética moderna e minimalista.

Filodendro xanadu

filodendro xanadu em sala de estar

O Filodendro xanadu apresenta folhas recortadas que dão um charme especial à decoração de interiores.

Este nativo brasileiro chega a 90 centímetros e demanda atenção quanto à presença de crianças e animais de estimação.

Samambaia-americana

samambaia-americana grande em sala

Funcionando como um umidificador natural, a samambaia-americana precisa de um ambiente luminoso e regas frequentes. Em vasos ou como plantas pendentes, adicionam um toque verde exuberante a qualquer sala.

Por fim, na escolha das plantas para embelezar sua sala, é importante considerar a altura potencial da planta e sua compatibilidade com o espaço disponível, bem como as condições de luminosidade no local.

Recomenda-se adubação orgânica trimestral e limpeza semanal das folhas para algumas espécies, visando uma transpiração adequada.

Cabe destacar que algumas plantas possuem seiva tóxica, então deve-se ter cuidado em residências com crianças e animais. Sem dúvida, mais do que apenas embelezar, muitas destas plantas possuem propriedades medicinais e contribuem positivamente para a qualidade de vida no lar.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Trabalha com escrita criativa, revisão e tradução. Fluência em Inglês e atualmente estudando Espanhol. Se formou em Comércio Internacional e Técnico em Marketing, mas está agora realizando o sonho de estudar Biologia. É apaixonada por palavras, natureza, tornados, heavy metal e psicologia forense.

Deixe seu comentário